Pages

Wednesday, September 07, 2005

Portuguese do it better

Não, não estou a falar de sexo. É mesmo a nova retórica argumentativa para a base de dados genética que o governo deseja criar. Parece que, como os EUA e o RU já o fazem, então Portugal devia também fazer (provavelmente para que se tenha o prazer de dizer que foi feito “antes de Espanha e Itália”).

Governo estuda criação de base de dados genéticos


O Governo está a estudar a hipótese de criar uma base de dados genéticos, para ajudar a investigação criminal e a identificação civil, disse hoje à agência Lusa fonte oficial do Ministério da Justiça.

(...)

Na Europa Ocidental, Portugal, Espanha e Itália são os únicos países que não possuem esse mecanismo de informação genética, que existe em países como a Grã-Bretanha e os Estados Unidos.


O mais preocupante é que esta notícia se baseia numa mentira pura. Não existe nos EUA nenhum sistema de base de dados genética. Nem no Reino Unido. Os registos criminais não implicam que toda a população esteja registada pelo Estado, ao contrário da medida que o governo português pretende iniciar.

Ambos os países têm um historial de rejeição de formas de identidade. Neste momento, a sociedade britânica enfrenta as intenções do governo em criar um bilhete de identidade biométrico. Esta medida do governo de Tony Blair está a receber oposição de grande percentagem da população, o que levou também à criação de grupos que se opõem veemente à implementação de tal sistema.

Quanto aos americanos, basta falar-lhes em bases de dados estatais para que comecem a pensar em emigrar para as Ilhas Caimão.
Post a Comment