Pages

Saturday, December 17, 2005

Desmontagem política V

(cont.)

8. De seguida pedes-me para explicar como é que o teu mundo se iria auto-destruir. Enfim, posso apontar algumas possibilidades.

O meu mundo? Acho que não entendes uma coisa essencial aqui. Os direitos naturais existem para além da legislação. Esta pode ou não respeitá-los, o que não significa que estes deixem de existir. O direito de propriedade é um deles. Recomendo-te a leitura deste texto do Rui no Portugal Contemporâneo.

Hipótese 1-
Visto não existirem quaisquer entidades reguladoras, eu sou um maníaco qualquer cheio de dinheiro e chego à Lockheed e encomendo uma frota de F-117's. Como não existe qualquer tipo qualquer tipo de fiscalização a compra decorreria sem qualquer problema. A empresa está apenas a vender o seu produto e eu sou LIVRE de comprar o que quizer. Com o meu poderio militar, tomo conta do mundo e escravizo toda a gente.

Vamos lá por partes. Quem disse que não existem entidades reguladoras? Quem disse que a Lockheed não te iria questionar acerca do teu objectivo em comprar uma frota de F117? Penso que se a tua ideia fosse escravizar o mundo não lhes interessasse muito, pois deixariam de poder vender livremente os seus aviões.

O que te leva a crer que conseguias escravizar o mundo inteiro com uma frota de F117? Não esperas que ofereçamos resistência ou simplesmente, porque gostas da ideia de controlo (socialista), também querias proibir a posse livre de armas para que não nos pudéssemos defender dos teus devaneios totalitários? E porque consideras que tem de existir um Estado (suponho que, por isso, a ideia das entidades reguladoras) para controlar isso? Achas mesmo que se a Lockheed estivesse interessada em vender-te uma frota de F117 não o faria sem o conhecimento do governo (americano)? O que te garante que o próprio Estado não compra uma frota de F117 à Lockheed para escravizar o mundo inteiro? Qualquer governo tem maior autoridade legal para o fazer pois é o poder legislativo/executivo que coordenada a legislação. A História está recheada de exemplos destes. Qual é a razão, então, para confiar cegamente na imparcialidade divina proclamada pelo Estado e na sua tarefa de "regulação e controlo"?

Hipótese 2-
Revolta das classes mais baixas, que ao contrário do que tu dizes, sem estados vivem pior pois não têm, acesso a um serviço de saúde gratuito, educação e segurança social, que não é travada por ninguém pois não há forças para imporem a ordem no teu mundo. BUUUM. Nasce um neo-comunismo.

E onde é que há isso de um sistema grátis de saúde, educação e segurança social? Se me disseres um país onde estejam a oferecer isso, é provável que me mude para lá. Ou, por acaso, estarás a esquecer-te de que as pessoas pagam todos esses serviços com impostos e sofrem as consequências de uma política económica repressiva em termos de liberdade de escolha e preços artificialmente inflacionados? Volto mais uma vez a lembrar a frase de Milton Friedman, "There's no such thing as a free lunch". Se essas classes baixas trabalharem, também não vejo a razão pela qual não haveriam de ter acesso a serviços de saúde, educação, etc. A menos que aches bem que elas não façam nada e vivam à conta dos impostos pagos pelos outros. Se assim for, candidato-me já para entrar no "teu mundo"! Desde que não cruzes a Hipótese 2 com a Hipótese 1, claro.

Comove-me, contudo, a tua preocupação com a parte da travagem da revolta. O que parece levar-te à conclusão da instabilidade de uma sociedade liberal é o facto de que não hajam forças para impor a ordem no "meu mundo" e não as condições em que viveriam as classes mais baixas (soundbite marxista). Então e que tal se chamássemos Mussolini? Ordem era com ele. E também partilhava ideias económicas semelhantes.

Hipótese 3-
Pura e simplesmente não acontece nada. Tudo decorre como tu dizes. Tudo é controlado por privados. Tudo tem um custo.

Quem disse que tudo é controlado por privados? Por que razão há-de tudo ter um custo?

As empresas apenas exploram aquilo que lhes dá lucro. Morrem áreas de conhecimento como por exemplo a Física Teórica, que a curto prazo não traz nenhuma utilidade prática (isto é verdade apesar de a longo prazo marcarem as maiores diferenças na história da humanidade - que seria do século XX sem os estudos de Maxwell sobre Electromagnetismo um século antes). Como uma pessoa vive em média 70 e picos anos, dirigentes de empresas inclusivé, estes não vêm grande utilidade em investigar algo que não lhes vai dar proveito directamente.

A física teórica não tem nenhuma utilidade prática? Como esperas explicar os fenómenos sem ela? Já te esqueceste que entre as melhores universidades do mundo estão institutos privados ou outros que nasceram de iniciativa não-estatal? Isto é comum nos EUA, onde as melhores são todas privadas, e no Japão, por exemplo. No Reino Unido, as universidades são instituições autónomas embora aceitem financiamentos por parte do Estado (o que as levou a perder alguns poderes). Ainda assim, todas as grandes universidades nasceram de iniciativa não-estatal. Ou agora vais dizer-me que no Reino Unido, nos EUA e no Japão não se faz física teórica? Aqui ficam algumas ligações interessantes que o google (esse outro produto do capitalismo selvagem) nos dá em poucos segundos:

Princeton Center for Theoretical Physics

The Princeton Center for Theoretical Physics is a new, University-funded enterprise dedicated to exploring frontiers across the theoretical natural sciences. Its purpose is to promote interaction among theorists and seed new directions in research, especially in areas cutting across traditional disciplinary boundaries.

This new, privately funded Center will be home to a highly select corps of Center Postdoctoral Fellows, senior Center Faculty Fellows, and Visiting Fellows both within and outside the University, and it will be the site of yearly focused programs of study, including workshops, seminars and associated special topics courses.


Kavli Institute for Theoretical Physics

The Kavli Operating Institute is a private operating foundation that engages in research utilizing its own staff, as well as through funding and collaboration efforts with researchers in a variety of fields. Project areas include astronomy and cosmology, neuroscience, nanoscience, education, and the environment.

Santa Barbara, Calif.--Fred Gluck, best known for his legendary performance at the helm of the leading international management consulting firm McKinsey & Company, has given $1 million to endow the chair of the director of the Kavli Institute for Theoretical Physics at the University of California at Santa Barbara (UCSB). David Gross, who came from Princeton University in 1997 to serve as director of the Institute, is the first Frederick W. Gluck Professor of Theoretical Physics.


Center of Mathematics and Theoretical Physics, Shangai

Located in the city's Nanhui District, the university's newly launched Shanghai Institute for Advanced Studies is the country's first privately funded academic research institute.

The new campus covers an area of about 33.3 hectares and is equipped with top-notch education facilities. Affiliated to the public USTC, the school's funding mainly comes from private donations.

Modeled on the Institute of Advanced Study at Princeton, the Center of Mathematics and Theoretical Physics aims to build itself into a first-rate research center in Asia within three to five years.


Perimeter Institute for Theoretical Physics

Privately funded institute for basic research in theoretical physics, located in Waterloo, Canada. Currently, the main areas of research are quantum computing, the foundations of quantum theory, and quantum gravity.


Berkeley Center for Theoretical Physics

Private philanthropy will continue to play the most significant role in providing the margin of excellence that distinguishes the Berkeley Center for Theoretical Physics as a vibrant, pre-eminent center of scholarly exchange. There is a wide range of gift opportunities, and each will allow you to become a vital part of the Center's future.

Isto era a primeira página do google. Não sei se precisas de mais exemplos mas há um aqui perto. A fundação Calouste Gulbenkian. Quem é que está a dar bolsas de estudos aos estudantes de matemática? Já te cruzaste com alguém do programa dos Novos Talentos?

A Calouste Gulbenkian está a fazer mais pelas ciências puras como a matemática do que o Estado português. E se ainda tens dúvidas sobre porque não aparecem mais investimentos específicos em Portugal, recomendo-te a leitura deste artigo no Diário Económico sobre o mecenato cientifico. Se o Estado quer assim tanto incentivar o desenvolvimento científico (incluindo a física teórica) porque é que cobra sobre os donativos? E porque é que não isenta as pessoas de impostos em caso de doação? A resposta é simples. A eles, não lhes interessa desenvolvimento científico algum. Interessa-lhes, sim, manter os seus próprios meios de financiamento.

Em último recurso, o que te garante que o governo dá dinheiro para a física teórica e essas tais áreas do conhecimento que dizes que morreriam? Será uma coincidência que a outra pessoa que me tinha dito o mesmo era um russo que via com nostalgia os tempos da URSS mas que – que coerência! – foi fazer investigação para um país onde o Estado é menor do que na Rússia (o Canadá)?

As classes mais baixas lá vão sobrevivendo com os seus rendimentos. Novamente, sem qualquer tipo de fiscalização não tens garantia que os direitos dos trabalhadores são garantidos. Mas, enfim, deves achar que os direitos dos trabalhadores são apenas outra má herança do Comunismo.

Que trabalhador quer trabalhar numa empresa que lhe dá menos privilégios do que a outra do lado? Numa economia de mercado, os empregadores lutam por obter a melhor relação entre a qualidade do empregado e o seu custo à empresa. Não me parece que a melhor forma de atrair trabalhadores produtivos seja dar-lhes más condições. O que me parece é que tu nunca foste empregado nem empregador de ninguém.


Os que não têm emprego morrem à fome, o que não deixa de ser óptimo pois assim o desemprego diminui.

Acho que estás a criticar o sistema económico errado. Isso acontece em regimes comunistas. Em países mais liberais, a oferta de emprego é sempre maior (e melhor) porque o país se torna um solo fértil para actividades comerciais e industriais. As taxas de desemprego são mais baixas, coisa que já te mostrei anteriormente. Se estas sobem é porque, provavelmente, os fluxos de migração disparam em flecha. Nunca ouviste ninguém dizer que queria emigrar para os EUA ou coisa semelhante? Porque será?

Toda a gente é livre de acordo com a tua definição, insegurança aumenta.

Sim? Porquê? E qual é a garantia de melhor segurança que tenho por pagar IVA? Se eu te dissesse que não tinhas de pagar mais IRS ias para o meio da rua matar pessoas?

Deixam de ser feitas obras públicas. Auto-estradas, pontes, etc... pois simplesmente não existem estados. Ou então, são construídas por entidades privadas mas com portagens tão elevadas que se tornam de uso exclusivo de uma pequena fatia da população. Criam-se zonas de acesso livre (pois toda a gente é livre não é?) mas com custos tão elevados que se tornam praticamente privadas para apenas "alguns".

E qual é o interesse de construir obras públicas, então, se quase ninguém pode passar por elas? E se a maioria não pode passar, o que te leva a pensar que os outros não construiriam uma obra só para eles? Admitindo que há uma portagem, porque haveria de ser do interesse de uma companhia produzir um produto a que menos pessoas pudessem aceder e, logo, obter menos lucro? Segundo a tua forma de pensar, todos os bens imobiliários teriam de ter origem no Estado. Bem, eu garanto-te que a casa onde vivo não foi contruída pelo Estado. Não sei se a tua foi mas, caso tenha sido, também te garanto que eles contrataram uma empresa qualquer de construção civil para o fazer. Os políticos não fazem prédios, encarregam-se apenas de fazer contas sobre eles para poderem ficar com uma fatia do orçamento. Porque é que uma comunidade não pode angariar dinheiro para construir uma obra pública? Não sabes como foi construído o antigo Estádio da Luz?

A LIBERDADE existe de facto, mas mascarada de uma hipocrisia que de facto não a justifica. A Humanidade entra em estagnação. Tudo é movido por interesses económicos. Uma pessoa que nasce numa família pobre está condenada a um destino triste pois os pais não podem assegurar a sua educação. A não ser que apareça um mecenas milagroso, o rapaz vai varrer o chão para o resto da sua vida.

Estagnados já estamos nós. Porque é que tudo é movido por interesses económicos? E se fosse esse o caso, porque haveria de ser mais do que agora, momento em que, devido ao socialismo, estamos em fase de estagnação/recessão e o custo de oportunidade de qualquer investimento se torna vital? Num país com mais riqueza e um crescimento acentuado, não há uma pressão económica tão grande que ponha em causa a própria sustentabilidade individual, minimizando-se assim os riscos operacionais da maioria dos investimentos. Será que és tu que não reconheces a actividade económica como uma faceta da acção humana?

Relativamente ao rapazinho da família pobre, porque não pode a família trabalhar para lhe tentar proporcionar uma educação melhor? Não ter dinheiro para estudar acontece, sim, numa sociedade socialista onde os recursos financeiros escasseiam já que são absorvidos pelo aparelho estatal a ritmo constante. O caso português é um bom exemplo disso.

Caso não saibas, a riqueza não obedece à lei de Lavoisier. E, de qualquer das formas, como determinas que ele tem mais capacidades do que as necessárias para seguir uma carreira diferente da de varredor de ruas? Existem pessoas assim na sociedade actual. Não adianta distorcer a realidade para que tudo pareça frio e cruel numa abstracção futura. O socialismo não põe fim aos problemas da pobreza, apenas os fomenta. Caso contrário, que razão podes sugerir para que existam correntemente varredores de ruas e pessoas a trabalhar na recolha do lixo que não têm habilitações literárias aceitáveis? Tens duas hipóteses. Ou reconheces que esse "problema" não é resolvido por nenhum dos sistemas (sendo no caso do capitalismo, melhor, porque proporcionais mais condições ao varredor de ruas) ou finges que os varredores de ruas só existem numa sociedade civil de cariz liberal, coisa que está em desacordo com a realidade, embora essa deva ser a razão dos comunistas ao dizer que todos os que reconhecem a propriedade privada são "neoliberais". Qualquer coisa que não seja o socialismo (uma utopia qualquer perfeita em que não há gente pobre nem pessoas a viver em más condições) é fruto do "capitalismo selvagem" e da "cartilha monetarista". Bastante graciosos.

Com um pouco mais de imaginação poderia apontar mais possibilidades para a queda do teu mundo "livre".

Claro que podes. O que não quer dizer que elas façam algum sentido ou alguma vez se concretizem. É engraçado que possas sugerir 3 hipóteses e ainda digas que há mais. Como, pelo que sabemos, só existe um Universo, qual delas se verifica, então?

(cont.)
Post a Comment