Pages

Thursday, October 13, 2005

Oxímoros ibero-americanos

- Segundo a RTP, discute-se na XV cimeira ibero-americana uma "cidadania comum" a todos os cidadãos destes países, aparentemente por proposta de Miguel Ángel Moratinos, ministro dos negócios estrangeiros espanhol. A proposta é no mínimo interesse e gostaria de ver em que se baseia. Com o amor mútuo que existe entre os países da América do Sul, deve ser fácil. Com o amor que estes mesmos países (onde, em grande parte, ainda portugueses e espanhóis são vistos como os "colonos imperialistas exploradores") nutrem para com a Península Ibérica também deve ser fácil. E então com o amor que há em Portugal a Espanha deve ser ainda mais fácil. Já para não falar das convulsões internas em Espanha onde cada região puxa para seu lado. "A Catalunha é uma Nação". O Plano Ibarretxe. A Galiza a esfolar-se por se destacar de Espanha, etc. Falar de cidadania comum só pode ser uma piada de mau gosto. Também se poderia falar em unir a União Europeia à Mercosul. Tem o mesmo nível de lógica.

- Através das páginas da XV cimeira ibero-americana (onde, se se esperar tempo suficiente, se podem ver fotos da Shakira no topo, esse símbolo marcante da cultura ibero-americana) pude ver que Fidel Castro vai comparecer, a convite do executivo socialista espanhol. Fica, portanto, de lado a hipótese de atentado porque o homem até vai ter protecção estatal.

- Em declarações aos meios de imprensa, Souto Moura, Procurador-Geral da República, afirmou que falou com o seu homólogo venezuelano acerca do caso relacionado com os portugueses detidos por suspeita de tráfico de droga. Ao que consta, foi-lhe dito que na Venezuela há uma separação de poderes e o poder executivo não pode interferir no judicial. Nas mesmas declarações de imprensa, pôde saber-se que Jorge Sampaio vai tentar conversar com Hugo Chávez acerca do assunto. Ou o Presidente Sampaio não sabe que na Venezuela, afinal, se segue um modelo político à la Montesquieu ou então está-se a chamar ditador ao Sr. Hugo Chávez, coisa que (para além de ser uma mentira evidente, claro) é uma acção diplomática muito grave.

- No seguimento da VIII Cimeira Luso-brasileira, ouvi Lula da Silva e José Sócrates apelarem ao investimento dos empresários nos dois países. Ouvi Sócrates a apelar ao investimento brasileiro em Portugal e Lula ao investimento português no Brasil. Fiquei a saber que afinal a globalização é boa e também o são o investimento estrangeiro e a circulação de capitais. Para quem defende tão entusiasticamente o socialismo, estas declarações foram, no mínimo, interessantes. No lugar de Marques Mendes, eu mudaria de partido. A sua vitória em próximas eleições do congresso do PS seria canja de galinha.
Post a Comment