Pages

Saturday, October 15, 2005

Comunismo? Sim, claro...

Uma das coisas que mais me surpreende é a capacidade da comunidade comunista (não, não é uma redundância) em distorcer a realidade. É um defeito que também eles já apontaram em mim, curiosamente. Quando lhes mostram os factos, dizem eles que estamos a distorcer a realidade com a nossa interpretação dos factos. Ora, capitalismo é capitalismo. Não há volta a dar-lhe. Se eles se negam a vê-lo, apenas estão a demonstrar a verdadeira razão pela qual são comunistas. Não seria a primeira vez que um comunista me dizia que a China não estava a crescer, de forma a negar os efeitos benéficos do mercado livre. É preciso mostrar-lhes os dados. A verdade é que tentam encontrar sempre algum argumento para negar que a China está melhor do que estava antes. Ora é porque há mais desigualdade social (i.e., era preferível que continuassem a ser todos pobres) ou porque "o crescimento económico não traduz o aumento da qualidade de vida" ou não tem "correlação directa com a felicidade".



É deprimente ter conversas com gente assim. Muito deprimente. É como discutir cores com um daltónico. Não vou analisar isso de momento porque, para ser sincero, analisar os devaneios da mente comunista dava para um livro completo. Não que seja muito complexo, porque até segue o mesmo padrão, mas assume uma variedade demasiado extensa. Há sempre uma falácia qualquer que o comunista pratica por entre os factos.

Para além destes, existem aqueles ainda mais bloqueados mentalmente. Esses são os que me dizem que o crescimento chinês se deve às políticas (verdadeiramente!) socialistas praticadas pelo partido chinês. O socialismo é uma coisa versátil. Tem vindo a mudar ao longo da história e teve todas as aplicações possíveis, desde o nacional-socialismo, ao fascismo e ao marxismo-leninismo. Hoje em dia, o socialismo está a tornar-se definitivamente na sua variante de social-democracia. O exemplo vem de vários países, nem vale a pena nomeá-los. Esta terceira via consiste em aceitar o liberalismo, fazendo poucas intervenções. É uma aceitação dos factos, excepto para os comunistas que ou negam a melhoria das condições, insultando as políticas de direita, ou simplesmente defendem o partido em questão, dizendo que *aquilo* não é mais capitalismo, é socialismo, porque agora resulta, etc, etc. São estes os mesmos que agora dizem que a China cresce por causa das políticas comunistas. Para esses, mais uma vez, em especial, vai outra notícia fresquinha, publicada pelo Dinheiro Digital.

China: Hu Jintao reclama menos proteccionismo e comércio global mais justo

O presidente chinês Hu Jintao pediu este sábado mais abertura e justiça no sistema de comércio internacional para prevenir o proteccionismo comercial, durante a sessão de abertura do encontro dos responsáveis das Finanças das 20 maiores economias mundiais.

Hu Jintao reclama menos proteccionismo. Esta posição também é ideologicamente comunista?
Post a Comment