Pages

Thursday, March 09, 2006

Agenda da libertação revolucionária

Evo Morales continua ocupado com a liberdade boliviana. De momento, encarrega-se da atarefada função de ir nacionalizando aos poucos as companhias petrolíferas para melhor servir os interesses do governo boliviano. Perdão, do povo, do povo. A grande vítima dos últimos tempos tem sido a espanhola Repsol YPF que foi acusada de contrabando pelos responsáveis da fiscalidade. Que coincidência que fizesse parte da campanha do MAS (Movimiento Al Socialismo) nacionalizar por completo as indústrias de gás e de petróleo...

"La pesadilla de Repsol YPF en Bolivia no ha terminado. Un impresionante operativo policial irrumpió a las 10.30 de esta mañana en las oficinas de su filial, Andina, en la ciudad de Santa Cruz. El objetivo era requisar documentos y detener a sus dos principales ejecutivos en relación con una denuncia de contrabando de petróleo."

Entretanto, já os amigos dos amigos da liberdade pelos outros países vão dizendo: "mas como é que se pode acusar o governo boliviano se não podemos provar que a Repsol realmente não estava a cometer um delito fiscal por contrabando?". Meus amigos, meus amigos - Já pensaram, por mero acaso, em quem é que define o que é contrabando?


[Obrigado ao Çamorano pela ligação com a notícia]
Post a Comment