Pages

Saturday, November 05, 2005

Intelligent Design na Física

Ciência é ciência. Quando a ciência se torna numa religião, há qualquer coisa errada. Uma religião não tem uma prova experimental nem gera previsões acerca da Natureza. Por vezes, há gente, incluindo muitos cientistas, que insistem em ver a ciência como uma religião porque, ao aceitar teorias como condições divinas, se esquecem do verdadeiro propósito da ciência - descrever a realidade. Isto tem acontecido sempre ao longo da História. As grandes inovações científicas e tecnológicas têm sido sempre feitas contra a corrente. Os autores dos maiores avanços são sempre objectos de oposição cerrada por parte do establishment académico. Muito provavelmente, a discussão entre a religião e a ciência acompanhará sempre a nossa evolução mas há um aspecto perigoso e nada saudável que nasce da predisposição do ser humano para acreditar - quando as teorias científicas deixam de ser ciência para se tornar objectos de culto fervoroso. Estas incluem comummente teorias que não têm uma formulação teórica completa, apresentam resultados discordantes da realidade e fazem poucas ou nenhumas previsões, tendo probabilidades duvidosas de serem comprovadas experimentalmente devido à sua discordância interna. Gostaria, portanto, de mostrar aquilo que já se esperava e que vai começando a acontecer com mais frequência, dado o estado das coisas – a comparação do Intelligent Design às infinitas Teorias de Cordas que pretendem ser candidatas a uma teoria de unificação das forças.

A ler, no Cosmic Log, It's just a string theory

«The metaphysical ruminations over the "theory of everything" — and over the fact that there is much scientists don't know about the origin and nature of the universe — naturally led to a question about how the far-out ideas of string theorists stacked up against the far-out ideas of intelligent design's advocates.»

Em resposta, Krauss faz umas engraçadas considerações metafísicas acerca da ciência, onde talvez as frases mais engraçadas tenham sido:

«"There are two aspects that they get mixed up. One is, they are claiming that scientists ... are based on faith, and that's true. Scientists are based on faith: They have faith that the ideas they're working on are right. But the difference is that Ed Witten and the other good string theorists will, if an experiment comes along that demonstrates that supersymmetry isn't discovered in a definitive way, be the first to say the theory is wrong. So they have faith in what they're working on. You have to, if you're going to spend 20 years working on an idea. But if the idea is wrong, you say, 'Too bad.'»

Veremos o que acontece, como eu já disse anteriormente, aquando do início do funcionamento dos módulos ATLAS e CMS no LHC. Suspeito que, caso o LHC não produza resultados conclusivos, os mais crentes na teoria pedirão a construção de outro detector que possa gerar colisões a energias ainda mais elevadas, eternizando a necessidade de resultados experimentais pelos quais se tem esperado nos últimos 30/40 anos.

Comentários posteriores foram feitos no Cosmic Log à questão do Intelligent Design e às declarações de Krauss. Peter Woit, matemático da Universidade de Columbia, comenta também a notícia:

"Since the scale of supersymmetry breaking is unknown, one can’t hope to experimentally definitively show supersymmetry is not there. And the question at issue is string theory, not supersymmetry. Will string theorists abandon the theory when supersymmetry is not found at the LHC? We’ll see in a few years, but I already see them hedging their bets and many undoubtedly will not see the lack of supersymmetry at LHC energies as proving string theory wrong."
Post a Comment