Pages

Tuesday, October 27, 2009

A nova caça às bruxas

Os povos mediterrânicos têm fama de ser bisbilhoteiros, mas é num país nórdico que surgem ideias brilhantes como esta:
IT'S THE moment nosy neighbours have been waiting for – the release of official records showing the annual income and overall wealth of every Norwegian taxpayer. In a move that would be unthinkable in most countries, tax authorities in Norway have issued the skatteliste, or "tax list," for 2008 to domestic media under a law designed to safeguard the country's tradition of transparency.

The annual list includes data about fishermen on the western fjords, Sami reindeer herders in the north and urbanites in Oslo. To non-Scandinavians, it appears to be a gross violation of privacy. At home, it has stirred up a media frenzy, with headlines revealing who is oil-rich Norway's wealthiest man, woman and celebrity couple.
Vale a pena ler o resto da notícia, em especial para ler o tipo de contexto surrealista em que tudo isto se enquadra, mas esta secção em particular merece destaque prioritário:
Defenders of the system say it enhances transparency, which is essential for an open democracy. "Isn't this how a social democracy ought to work, with openness, transparency and social equality as ideals?" wrote Jan Omdahl, a columnist for the tabloid Dagbladet.
Este é um argumento deveras extraordinário. Se eu fosse conselheiro do governo norueguês, proporia de imediato que fossem efectuadas fotografias digitais de corpo inteiro, em alta definição, a todos os noruegueses e norueguesas, e que estas fossem todas colocadas num portal publicamente acessível, em conjunto com todos os dados que permitissem identificar e localizar cada uma dessas pessoas. Desta forma, toda os machos e fêmeas noruegueses poderiam evitar a total ineficiência que é, no momento presente, cortejar espécimenes do sexo oposto que não sejam dignos de transmitir os seus preciosos genes às gerações seguintes. Claro que a pintura só ficará completa com perfis psiquiátricos, genéticos, de personalidade e de inteligência, mas não sejamos demasiado apressados. Não é tudo isto que se pretende numa sociedade transparente e democrática, onde ninguém tem nada a esconder? Parece o Paraíso na Terra.

A parte mais irónica é que, apesar de tanta conversa fiada sobre vontade democrática, igualdade e abertura social, o apoio popular a esta medida parece denotar uma oposição definida de quase metade da sociedade:
A 2007 survey by research group Synovate revealed that only 32 per cent of the Norwegian public wanted the tax list published, while 46 per cent were against it.
Post a Comment