Pages

Saturday, September 06, 2008

think of the children

A New View on TV (Wall Street Journal)
University of Chicago Graduate School of Business economists Matthew Gentzkow and Jesse Shapiro aren't sure that TV has been all that bad for kids. In a paper published in the Quarterly Journal of Economics this year, they presented a series of analyses that showed that the advent of television might actually have had a positive effect on children's cognitive ability.(...)
The economists found that television was especially positive for children in households where English wasn't the primary language and parents' education level was lower. "We don't exactly know why that is, but a plausible interpretation is that the effect of television on cognitive development depends on what other kinds of activity television is substituting for," says Mr. Shapiro, 28.
Estes resultados referem-se à população dos EUA. O artigo menciona também efeitos, que possivelmente podem ser atribuídos à televisão, na forma como as mulheres são tratadas na Índia. No que diz respeito ao aparente efeito positivo sobre as crianças, não me parece muito surpreendente que o estudo aponte nesse sentido, apesar de todo o género de alarmismos apocalípticos que se lançam frequentemente sobre este assunto. A minha sensação é de que as pessoas que associam à televisão um efeito negativo no desenvolvimento cognitivo das crianças fazem sempre, implicitamente, uma avaliação comparativa com quaisquer outras actividades que seriam eventualmente mais produtivas do ponto de vista intelectual, sem considerar, no entanto, que na ausência de uma televisão, as crianças dificilmente as praticariam. Nos casos em que os agregados familiares não têm televisão nas suas residências ou em que não é norma que esta esteja geralmente ligada, as crianças não se tornam automaticamente frequentadoras de bibliotecas públicas, em busca de livros sobre arqueologia ou biologia. A mesma espécie de raciocínio falacioso parece dar-se precisamente com os críticos dos mais variados géneros populares de literatura juvenil - estes presumem sempre que esses livros têm um efeito nocivo porque as crianças poderiam estar a ler grandes obras da literatura universal em vez das últimas aventuras de Harry Potter. Claro que nunca é propriamente esclarecido em que universo é que isso aconteceria caso não existissem livros sobre as aventuras de Harry Potter.
Post a Comment